ESQUADRA DE POLÍCIA AÉREA BASE AÉREA Nº 4 – (ilha Terceira) AÇORES

01-03-2012 15:37

ESQUADRA DE POLÍCIA AÉREA BASE AÉREA Nº 4 – (ilha Terceira) AÇORES 

Divisa

Vitam Impendere Vero – Consagrar a vida à verdade

 

HISTÓRIA

            A Base Aérea Nº 4 (BA 4) é provavelmente entre as actuais Unidades da Força Aérea uma das que reúne a mais longa tradição de actividade da Polícia Aérea.

            Na Ordem de Serviço da unidade de 31 de Maio de 1955 pode encontrar-se no seu artº 10º -Polícia Aeronáutica:

  1. Que, a partir de amanhã, é criado um Corpo de Polícia destinado ao serviço de guarnição e vigilância da base (…).
  2. Que, a partir de amanhã, fica a cargo da PA:

1º - O serviço de guarda ao Quartel de Santa Rita;

2º - O serviço de guarda ao Posto de Polícia nº 2;

3º - O serviço de vigilância e ronda na Base.

            Este Corpo de Polícia, constituído por 1 Oficial, 1 Sargento, 10 Cabos e 22 Soldados, é o primeiro antepassado da actual EPA do CAA/BA4.

            Antes, a segurança da Base era da responsabilidade da GNR e num período entre 1957 e 1961 foi da responsabilidade da Polícia Militar, através de um Esquadrão do Regimento de Lanceiros nº2 – Lisboa, destacado para o efeito.

            Em finais de 1961, começa de novo a processar-se a transição de funções para pessoal da Força Aérea (FAP), primeiro não especializado, mas a partir de 1963 já com preparação técnica específica, ministrada na Base Aérea Nº 3 – Tancos.

            A subunidade de PA constituía então uma Esquadrilha, a EPDP – Esquadrilha de Polícia e Defesa Próxima, estatuto que durou até à reorganização funcional da FAP imposta pelo Regulamento das Bases Aéreas (RFA 305-1).

            A sua estrutura orgânica era a seguinte:

Verificava-se assim que a unidade orgânica em que assentava o serviço da PA eram as Equipas, constituídas por 10 ou 11 elementos e chefiadas por Sargentos.

O número de equipas variava entre 4 e 6 e asseguravam o serviço por turnos, por rotatividade, piquete de 24H00 e ainda uma para instrução e treino.

Para além das equipas existia o pessoal que garantia os serviços administrativos, com horário fixo e a equipa de serviços especiais que não tinha horário mas que estava sempre disponível para trabalhar com as outras secções, principalmente com a Secção de Investigação.

 

Surgiu assim a EPA (Esquadra de Polícia Aérea) com o seguinte Organograma:

 

Obs: Para quem conhecia o RFA 305-1 (A) verifica que existem algumas discrepâncias entre a Organização da EPA/BA 4 e aquele. Tal, deveu-se ao facto da Esquadra depender directamente do Comando e não do Grupo de Apoio e ainda o agrupamento em duas Esquadrilhas justificado pela necessidade de descentralização que o enorme volume de trabalho e de solicitações impunham ao Comandante de Esquadra. A Secção de Trânsito independente, impôs-se pela necessidade de controlar o número elevado de tráfego na Unidade e a necessidade permanente de o controlar e fiscalizar.

 

            A EPA da BA 4 para além de assegurar a Segurança à Base e ao Comando Aéreo dos Açores também tem de o fazer ao Contingente Americano e seus apoios, como por exemplo, Clubes, cantinas, supermercados, snack-bares, ginásios, etc.

O aeródromo com um elevado movimento de aeronaves civis e militares, com dois terminais militares e um civil, também tem a segurança a cargo da Polícia Aérea.

Pelo resto da ilha Terceira os pontos sensíveis de apoio à Base, cuja segurança não pode ser descurada, também são assegurados pela PA.

Esta Esquadra PA tem lidado diariamente com problemas, desde a sua origem, que qualquer esquadra ou posto policial de uma pequena cidade também lidam. A razão desta situação tem a ver com a comunidade Americana e Portuguesa que vivem nas centenas de habitações existentes no interior da Base, com a entrada e circulação permanente de táxis, autocarros e viaturas civis e ainda centenas de trabalhadores civis ao serviço da força americana e portuguesa.

 

COMANDANTES  DA EPDP e  ESQUADRA DE POLÍCIA AÉREA

 

TENENTE   SG   ALMÉRIO FURTADO DE SIMAS BELÉM                    - OUT68       (COMte DA EPDP)

TEN MIL   SG/PA  JOSÉ DE CARVALHO FERNANDES     OUT 68  –  ABR76       (COMte DA EPDP)

MAJOR      PARAQ.  RESENDE      ABR76 – 14SET78      (COMte DA EPDP)

MAJOR     TMAEQ    HELIO ANTÓNIO DOS SANTOS  BETTENCOURT     15SET78 – 28OUT79    (COMte DA EPDP) 

 22OUT80 – 28FEV83

MAJOR       PA  MANUEL PEREIRA DE CARVALHO    17NOV83 – 29SET86

MAJOR       PA  MANUEL NEIVA VIANA       30SET86 – 26SET88

MAJOr       PA   ANTÓNIO JOÃO RUSSO CASSUS       27SET88 – 20AGO90

MAJOR       PA   LUÍS FILIPE RODRIGUES PEREIRA      21AGO90 - 25FEV97

CAPITÃO   PA    CARLOS FERNANDO DE ARAÚJO JORGE     25FEV97 - 10JUL97

MAJOR       PA  JOAQUIM MARIA LEITÃO DOS SANTOS      11JUL97 - 20JAN98

CAPITÃO   PA   MANUEL MOREIRA SOARES       21JAN98 – 31MAR98

MAJOR       PA  JORGE AUGUSTO FRAGA MARTINS MAIO     01ABR98 - 14DEZ99

MAJOR       PA  ROGÉRIO MANUEL RAMALHETE INÁCIO    15DEZ99 - 21AGO01

CAPITÃO   PA  MANUEL MOREIRA SOARES     22AGO90 - 114OUT01

MAJOR       PA JORGE BERNARDES GONÇALVES    15OUT01 - 26NOV03

MAJOR       PA ANTÓNIO MANUEL FERNANDES DA  SILVA   27NOV03 - 27JAN04

CAPITÃO   PA  JOSÉ ANTÓNIO MONTEIRO VICENTE   28JAN04 - 06JUN04

MAJOR      PA MANUEL MOREIRA SOARES    07JUN04 - 07JAN09

MAJOR      PA ANTÓNIO FRANCISCO PEREIRA DOS SANTOS   08JAN09 - 18OUT10

MAJOR      PA VENTURA LUIS ALVES SANTANA    18OUT10 - 06MAI11 

CAPITÃO  PA  MARCO FERREIRA     06MAI11 -

 

 

Particularidades:

Na BA 4, devido ao estacionamento de militares americanos, existe também um destacamento da “Polícia Aérea Americana”, SFS (Security Forces Squadron) ou apenas SF. Assim, embora a segurança seja da responsabilidade da PA, existem situações em que têm de coexistir elementos das duas forças.

Existe uma patrulha mista, chamada patrulha Lima, com um PA e um elemento SF.

Na guarnição do posto 1 (um) também já existiu um elemento da SF a fazer serviço.

O Centro Coordenador de Segurança, antigo CCDT e ainda antes, o “controlista” no Comando da EPDP, também mantém contacto permanente com o SFS.

 

            Missões especiais de Segurança ao longo dos tempos:

Em 13 de Dezembro de 1971, Cimeira Presidencial entre os Presidentes Americano, Richard Nixon e Francês, Georges Pompidou, com a presença do Presidente do Conselho de Ministros Português, Prof. Marcelo Caetano.

Em Junho de 1974, Cimeira entre os Presidentes Português, Spínola e Americano, Nixon.

De 16 a 20 Março de 2003, Cimeira das Lajes, entre o Presidente Americano, George W. Busch e os 1ºs ministros de Inglaterra e Espanha, Tony Blair e José Maria Aznar, com a presença do 1º Ministro Português, Durão Barroso, aquando da decisão de invadir o Iraque.

 

Curiosidades:

Em 1968 o Comandante da EPDP (TEN MIL/SG/PA Carvalho Fernandes) conseguiu junto do então Comandante da Base, COR PILAV Teles Pereira, transformar o Bar da PA (uma barraca) num Clube da Polícia Aérea, juntando para o efeito 3 barracas, uma nova e duas reconstruídas. Na sua Inauguração estiveram presentes artistas portugueses entre os quais Fernanda Baptista.

 

O Campo de Futebol da Base, foi remodelado e recebeu relva por iniciativa do comandante da EPDP, CAP MIL SG/PA Carvalho Fernandes, tendo todo o trabalho sido efectuado por Oficiais PA, Sargentos PA e Praças PA, colocados na EPDP entre Janeiro e Agosto de 1972. Ajudaram de diversas formas os empreiteiros Toste, Leite e Madureira, assim como um funcionário civil dos americanos, Sr. Ezequiel.

 

O BOINA AZUL - Boletim informativo da Polícia Aérea nos Açores - Em 1980 foi iniciada a publicação deste Boletim, o qual ajudou a cimentar a coesão e o espírito de corpo entre os PA colocados nos Açores, era um espaço de expressão da capacidade e da vitalidade da EPA do CAA/BA4, como muito bem definiu em Editorial o MAJ/PA Viana no nº de Janeiro a Junho de 1988.                              

 

 

Campeonato de tiro do CPA, em Maio de 1988 realizou-se na BA2/OTA o 1º campeonato de tiro das subunidades da Polícia Aérea, a equipa da EPA/BA4 foi a vencedora com os:

TEN/PA João Afonso

FUR/PA Carlos Dias

SOLD/PA José Fernandes

SOLD/PA Rodrigo Rocha

 

FLÂMULA DA ESQUADRA

 

 

DESCRIÇÃO:

Fendida de negro e vermelho, uma asa com nove penas, a parte superior termina com um ferrão de escorpião e a inferior termina com uma luva sustentando um montante, sendo tudo perfilado a ouro.

SIMBOLOGIA:

O negro simboliza a firmeza e a honestidade.

O vermelho simboliza o ardor bélico e a força, representa a autoridade para o exercício da função específica da Polícia Aérea.

O perfil a ouro simboliza a fortaleza, a constância e a nobreza.

A luva simboliza a segurança, o ferrão de escorpião simboliza a defesa e o montante simboliza o policiamento, em conjunto representam as três principais missões da Polícia Aérea. Asd nove penas simbolizam as nove ilhas do Arquipélago dos Açores.

 

GALERIA FOTOGRÁFICA:

17 de Fevereiro, nas Lajes,

a cerimónia de entrega de três viaturas à Polícia Aérea.

Pela primeira vez, as forças de segurança nacionais da BA4 receberam viaturas especialmente caracterizadas para a realização de patrulhas em áreas militares urbanas fora da unidade, segundo conceitos de atribuição e de emprego únicos na Força Aérea.

 

fonte: http://epaba4.com.sapo.pt/home/index.htm)

(MAJ)CAP PA  Jorge Freire recebe como lembrança,

um prato com o brasão da EPA/BA4, por ocasião de um estágio PA efectuado na BA 4

Condor em exercicio

 posto 1

A EPA ainda no Bidon ville

 

OFICIAIS E SARGENTOS DA

EPA/BA4 - JAN2012

 

 

 

A história desta EPA foi elaborada a partir da Revista Segurança e Prontidão nº 5 e do Boina Azul nº 25.

Agradeço ainda a colaboração do Comandante da EPA/BA4 CAP PA Marco Ferreira.

Se alguém quiser contribuir de alguma forma para enriquecer esta história, desde já os meus agradecimentos.

TCOR PA Grossinho

 

Voltar

Procurar no site

Policia Aérea - Boinas Azuis de Portugal